Matrículas - Sesi

Boletim confirma 31 casos de dengue em Corumbá

Por Assessoria PMC30 OUT 2017 - 10h32min
A região do centro é onde há maior incidência.Foto: Clóvis Neto/PMC

A Secretaria Municipal de Saúde divulgou nesta segunda-feira, 30 de outubro, o 34º Boletim Epidemiológico de 2017. O levantamento mostra que 521 casos suspeitos de dengue foram notificados na cidade até o dia 21 de outubro. Desses 31 foram confirmados. A maioria dos casos (10) foi encontrada no Centro.

O bairro Dom Bosco registrou cinco ocorrências, o Aeroporto três, Popular Velha, Universitário, Centro América e Guaicurus notificaram dois casos cada um. No Maria Leite, Cristo Redentor, Popular Nova, Nossa Senhora de Fátima e Previsul foram confirmados um caso em cada localidade.

Já com relação ao zica vuris, foram 126 notificações e 10 confirmações. Novamente o Centro da cidade é a região com mais incidências (3). De chikungunya foram 81 casos notificados e 11 confirmados. O Dom Bosco e o Maria Leite são os locais com maior incidências, dois cada um. As três doenças são causadas pelo mosquito aedes aegypti.

A melhor forma de combate ainda é a prevenção. A Secretaria de Saúde orienta a população a descartar todos os objetos não utilizados que estiverem expostos às chuvas para não acumular água; tampar tonéis e depósitos de água; trocar diariamente a água dos bebedouros dos animais; colocar terra ou areia nos vasinho s de plantas; e colocar o lixo em sacos plásticos e manter a lixeira completamente tampada.

Leishmaniose

Transmitida pelo mosquito palha, a leishmaniose visceral teve 11 casos confirmados em Corumbá até o último dia 21. Eles foram registrados nos bairros Jardim dos Estados, Jardinzinho, Popular Velha, Previsul, Dom Bosco, Centro América, Cristo Redentor, Universitário, Região de Porto Morrinho, com um óbito no bairro Maria Leite.

Influenza

Até o momento foram confirmados por laboratório nove casos de influenza H3 sazonal e um caso de H3 sazonal por vínculo epidemiológico. Comumente conhecida como gripe, a doença é viral febril, aguda, geralmente benigna e autolimitada. Frequentemente é caracterizada por início abrupto dos sintomas, incluindo febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, dor muscular e perda de apetite, assim como sintomas respiratórios com tosse seca, dor de garganta e coriza.

Diarréia

A diarreia aguda é uma síndrome clínica de diversas etiologias que se caracteriza por alterações do volume, consistência e frequência das fezes, mais frequentemente associada com a liquidez das fezes e o aumento no número de evacuações. Com grande frequência costuma ser acompanhada de vômitos, febre, cólicas e dor abdominal.  Algumas vezes pode apresentar muco e sangue (disenteria).

Conforme Boletim Epidemiológico 34, foram registrados 3516 casos de doenças diarreicas agudas neste ano em Corumbá. Destes, 186 casos ocorreram crianças menores de 01 ano, 866 em crianças de 1 a 4 anos, 364 casos em criança de 5 a 9 anos e 2013 casos em crianças com mais de 10 anos.

Ações

Com base nos casos notificados e confirmados dessas doenças e no resultado do 5º LIRAa (2,6%), as equipes da Secretaria de Saúde realizaram as seguintes ações de combate ao vetor; durante a semana foram visitados 3.888 imóveis nas atividades de rotina, onde foram feitas eliminação de focos, com o objetivo de impossibilitar o desenvolvimento do vetor e orientação junto aos moradores para que evitem o acúmulo de materiais que possam favorecer o depósito de ovos do mosquito transmissor.

A equipe de bloqueio químico realizou a borrifação com a bomba costal em 714 imóveis nas micro áreas  Vitória Régia, São Bartolomeu, Ferro Ligas, Dom Aquino, Cervejaria, Cemitério, Nova Corumbá, Cemitério e Arthur Marinho. Foram realizados bloqueios mecânicos nas microáreas Cemitério, Ferro Ligas, Cristo Redentor, Corcal, São Bartolomeu, Dobes.

Também foi realizado manejo ambiental em todos os casos notificados. A Secretaria Municipal de Saúde ainda realizou palestras educativas com apresentação de vídeos educativos, exposição de amostras de larvas do Aedes aegypti e produção de repelentes naturais com citronela, na Escola Clio Proença.

DANT

A Vigilância de Violências e Acidentes (VIVA) tem o objetivo de subsidiar ações de enfrentamento dos determinantes e dos condicionantes das causas externas, que se tornaram objeto de vigilância e de prevenção em saúde, no âmbito do Sistema Único de Saúde, sob a Coordenação de Vigilância epidemiológica de DANT – Doenças e agravos não transmissíveis numa perspectiva intersetorial.

Priorizando-se os grupos em situação de vulnerabilidade, com base no direito à saúde e à vida, o VIVA incentiva a formação de redes de atenção e proteção às pessoas vítimas de violências e acidentes, buscando, desta forma, garantir a atenção integral, a promoção da saúde e a cultura de paz. Atualmente, a Secretaria de Saúde tem uma equipe de acolhimento nas unidades de urgência e emergência para atendimento das pessoas em situação de violência e acidentes para posterior encaminhamento a Rede intersetorial.

A coordenadoria está localizada no Centro de saúde na Rua América, s/nº - ao lado do Posto de gasolina Paulista (entrada pelo estacionamento). O telefone de contato é 3907-5274. Na última semana epidemiológica, foram registrados 46 atendimentos de pessoas em situação de violência nas unidades de saúde da REDESUS, com preenchimento da ficha de notificação de violência.

 

Deixe seu comentário

Leia Também

Fuga

Interno não consegue entrar com celular e foge do semiaberto

Serviço

Testes na nova ETA de Ladário pode causar falta de água até sábado (25)

Otimismo

Aumenta vagas de emprego no comércio de MS

Comunicado

Prorrogada publicação dos classificados no processo seletivo da Fundtur

Educação

Governo finaliza compra de uniformes, kits e merenda escolar para 2018

Economia

Com R$ 1,6 bilhão de MS, volume contratado do FCO em 2017 já é recorde histórico no País

Conflito territorial

Fazenda Baía da Bugra em Porto Esperança é invadida por indígenas