Micareta

Blocos, Cordões e Escolas de Samba devem solicitar alvarás até dia 31

Por Assessoria PMC11 JAN 2018 - 08h40min
Prefeito Marcelo Iunes assinou termo de cooperação entre Polícias, Justiça e Município. (Foto: Renê Marcio Carneiro)

Durante reunião que resultou em acordo de cooperação entre Forças de Segurança, Judiciário e setores do Município para segurança no Carnaval, foi estabelecido que todos os alvarás necessários, emissão de DAM e licença serão concentrados na Fundação do Meio Ambiente do Pantanal. Blocos, cordões e escolas de samba devem abrir processo para se regularizarem até até o dia 31 de janeiro. DAM e a licença só serão emitidos depois do alvará do Corpo de Bombeiros.

“Blocos, cordões e escolas de samba vão dar entrada no CAC, que é a abertura do processo inicial, que é o protocolo. Depois do protocolo aberto, os responsáveis vão ter que até a Fundação de Meio Ambiente do Pantanal para preencher os requerimentos, documentos necessários, e o protocolo do Corpo de Bombeiros. Só depois será emitida a DAM e a licença. Todos esses documentos, então, serão encaminhados à Postura. Só vamos emitir a DAM e a licença após o protocolo do Corpo de Bombeiros”, explicou Ana Cláudia Boabaid, diretora-presidente da Fundação do Meio Ambiente do Pantanal.

O subcomandante Lennon, do 3º Grupamento de Bombeiros Militar, afirmou que é necessário que promotores de eventos, responsáveis por blocos, cordões e escolas de samba procurem o quanto antes a seção de atividades técnicas do Grupamento. “Vamos orientar. Por exemplo, o local de concentração de blocos deve estar certificado junto ao Corpo de Bombeiros Militar. Vamos exigir documentação referente à sonorização, instalação elétrica e se for ter palco, documento referente à estrutura. Isso tudo deve ser feito por profissional cadastrado junto ao Corpo de Bombeiros Militar”.

A seção dos bombeiros responsável pela parte de combate a incêndio e pânico vai realizar inspeção anteriormente ao evento. Serão analisados extintores, parte elétrica, sonorização e estrutura do palco. Já os trios elétricos devem passar tanto pela inspeção dos bombeiros quanto pela vistoria da Agência Municipal de Trânsito e Transporte (Agetrat). Durante o Carnaval, essa fiscalização será realizada em caso de denúncia ou se for verificada irregularidade presencialmente por algum militar.

“Durante o evento, vamos trabalhar com o serviço operacional que é o atendimento pré-hospitalar. Serão 12 viaturas em Corumbá, sendo duas estabelecidas na rua Sete de Setembro e as outras estarão na base à disposição. Cada viatura que estiver na rua terá cerca de quatro militares, mas também estarão disponíveis aqueles que ficarão de prontidão no Grupamento”, explicou o subcomandante Lennon.

*Carnaval 2018: Reunião resulta em acordo de cooperação para segurança

 

Deixe seu comentário

Leia Também

Cultura

Marcha para Jesus reforça parceria de Corumbá e COREME

Saúde

MS está em campanha para vacinação de adolescentes contra HPV

Educação

IFMS segue com inscrições abertas para cursos técnicos integrados ao ensino médio

Saúde

MEC habilita faculdade particular para implantar curso de Medicina em Corumbá

Economia

Dólar abre em alta, cotado a R$ 4,12

Eleições 2018

Líder, Azambuja tem 42,9%; juiz Odilon é segundo, com 29,35%

Policial

Acusado de matar adolescente e jogar corpo em córrego se apresenta a polícia