Andorinha - site novo

Bebê socorrido socorrido com desnutrição aguda precisa de leite específico

Por Assessoria PMC26 OUT 2017 - 09h03min
Com saúde melhor, bebê permanece sob cuidados médicos na Santa Casa.Foto: Renê Marcio Carneiro/PMC

Bebê atendido pela equipe médica do Programa Social Povo das Águas com quadro de desnutrição e desidratação permanece internado na Santa Casa. O menino, que está acompanhado dos pais, já apresentou ganho de peso e está com aparência bem melhor, conforme informações da médica Clélia Magalhães dos Santos, que prestou o primeiro atendimento no programa social. No entanto, conforme o pediatra da Santa Casa, ele só será liberado quando alcançar os 3,5 quilos. Atualmente, o bebê está com 3,1 quilos.

De acordo com Clélia Magalhães, o bebê estava na fila para consulta na região do Paraguai Mirim, no Porto Ilha Verde, quando a médica percebeu algo errado com a criança. “Eu vi ele muito branquinho e estava também muito magrinho. Conversei com a mãe e ela me disse que a criança estava com 47 dias de vida e nasceu depois da data limite do parto, que é de 42 semanas. Quando fui examinar o bebê, constatei que estava desidratado, desnutrido e com anemia, além de uma dermatose no corpo inteiro, com descamação, e choro sem lágrimas”, relatou.

Segundo a médica, os pais acreditavam que o filho estava bem de saúde e a mãe não imaginava que poderia estar desnutrido, já que, segundo a mãe, a criança mamava o dia inteiro. “Ela dizia que a criança sentia muito frio, então, em um calor de 40 graus, ela aquecia demais o bebê, levando à desidratação. Não foi displicência da mãe porque realmente ela pensava que a criança estava normal. O pai também ficou super preocupado com o diagnóstico e quando dissemos que teríamos que transferir a criança”. O bebê apresentava quase um quilo a menos do peso com o qual ele nasceu.

O Povo das Águas acionou a equipe do 3º Grupamento de Bombeiros Militar para encaminhar o bebê à Santa Casa. A equipe militar chegou na manhã seguinte para levar a criança e os pais ao hospital de Corumbá. O atendimento do programa social aconteceu na tarde do dia 17 de outubro e no dia 18 o bebê já estava sob cuidados médicos na Santa Casa. “A única coisa que a criança precisava era de comida”, afirmou a médica que pela primeira vez havia participado da ação social.

“Percebi que as pessoas naquela região realmente têm carência de tudo, não só de saúde, mas de outros setores como a parte jurídica, assistencial, transporte. Eles realmente nos esperam chegar. Quando a gente chega aos portos, eles já estão nos aguardando ou correm para nos receber ao avistar a embarcação”, afirmou Clélia.

“Por mais que demore alguns meses para chegarmos a cada localidade, a gente percebe que eles estão sempre bem de saúde, quase não há casos de urgência. Aqui na cidade existe toda a estrutura para chegarmos rapidamente ao médico. Às vezes, os pacientes aqui não querem esperar nem dez minutos para serem atendidos. O que fico triste é que muitas pessoas reclamam muito com tudo nas mãos”, disse a médica.

Conforme Elisama de Freitas Cabalhero, coordenadora do Programa Social Povo das Águas, o bebê vai necessitar tomar leite específico para crescimento e nutrição. O médico solicitou também avaliação psicossocial da mãe do bebê. De acordo com a prescrição médica, será necessário o uso do NAN 1, cuja lata de 800 gramas está por cerca de R$ 63,00 no mercado corumbaense. Serão necessárias em média 40 latas. A Secretaria Municipal de Saúde junto com a Defensoria Pública está tentando viabilizar, por meios legais, a aquisição do leite. 

 

 

Deixe seu comentário

Leia Também

Entrevista

Corumbaense faz sucesso na moda e no empreendedorismo

Protesto

Comunicado sobre o funcionamento do TRT/MS durante a greve dos caminhoneiros

Abigeato

PMA prende dois homens por furto de gado em fazenda

Reabastecimento

Exercito e PRF escoltam caminhões tanques para abastecer postos em Corumbá

Fogo

Por causa de um cigarro homem perde parte da casa em incêndio

Tentativa de homicídio

Casal é esfaqueado no interior de boate esta madrugada

Greve

Presidente da Câmara apoia movimento dos caminhoneiros