Matrículas - Sesi

Azambuja defende criação de sistema de segurança para fronteiras em evento no Acre

Por Portal do MS28 OUT 2017 - 09h15min
Reinaldo Azambuja durante entrevista no Encontro de Governadores do Brasil pela Segurança Nacional, em Rio Branco.Foto: Divulgação

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, sustentou a criação de um sistema único de segurança para resguardar os mais de 23 mil km de fronteira – MS tem limites internacionais com a Bolívia e o Paraguai por 1.517 km, dos quais 549 km de fronteira seca -, durante as discussões no Encontro de Governadores do Brasil pela Segurança e Controle das Fronteiras, realizado nesta sexta-feira (28.10), em Rio Branco, Acre.

Ao apoiar a decisão unânime dos governadores pela criação de um Fundo Nacional de Segurança Pública para financiar uma força-tarefa nas fronteiras, Reinaldo Azambuja reafirmou sua preocupação com o aumento do crime organizado nas cidades situadas nas linhas internacionais. A não presença das forças nacionais para reprimir o tráfico de drogas e armas e o contrabando, segundo ele, os estados não vencerão essa guerra.

Integração e inteligência

“Em quase três anos, investimos mais que os outros governos em segurança pública, reaparelhando e modernizando nossas polícias e colocando mais policiais nas ruas. Contudo, sem a União assumindo seu papel constitucional na fronteira e uma integração com os estados e municípios, será difícil bloquear a entrada de ilícitos no Rio de Janeiro e outros grandes centros”, disse o governador. “Precisamos trabalhar integrados e com inteligência”, ponderou.

Para Reinaldo Azambuja, a criação do fundo é fundamental como instrumento de financiamento das estruturas de segurança pública, porém voltou a cobrar a presença da União no comando de uma ação integrada para combater as facções. “Só avançaremos com a formação de um núcleo central, de competência do governo federal. Enquanto a União empurrar essa responsabilidade aos estados, não conseguimos brindar a fronteira”, cobrou.

Realidade dramática

O encontro na capital acreana foi iniciado às 11h (horário MS), sem a presença do presidente da República, Michel Temer, que cancelou a viagem por problemas de saúde. Governadores de 20 estados e autoridades de todo o país se unem em uma só voz para buscar soluções no combate ao narcotráfico e pela defesa da segurança nacional. Assim como Reinaldo Azambuja, os demais governadores cobraram com veemência uma posição da União quanto ao controle das fronteiras.

“Acho que este encontro seja talvez a última oportunidade para que tenhamos, a partir de então, uma nova postura de segurança pública. Não estamos aqui para eleger culpados, nem corrigir o passado”, declarou Robinson Faria, governador do Rio Grande do Norte. O ministro da Justiça, Torquato Jardim, reconheceu que a questão do tráfico de drogas, que coloca o Brasil como segundo maior consumidor, “é dramática e precisa ser enfrentada”.

 

Deixe seu comentário

Leia Também

Política

No Ministério do Turismo, prefeito discute liberação de verbas para distrito turístico

Serviço

CAC fica aberto até às 19 horas de hoje para adesão ao REFIC

Fuga

Interno não consegue entrar com celular e foge do semiaberto

Serviço

Testes na nova ETA de Ladário pode causar falta de água até sábado (25)

Otimismo

Aumenta vagas de emprego no comércio de MS

Comunicado

Prorrogada publicação dos classificados no processo seletivo da Fundtur

Educação

Governo finaliza compra de uniformes, kits e merenda escolar para 2018