Matrículas - Sesi

Assessor exonerado diz que representa prefeito de Ladário

Por Sylma Lima28 OUT 2017 - 17h55min
Rodrigo estava lotado no Gabinete mas, atendia  comoSecretario de Comunicação.

O ex-assessor de comunicação da Prefeitura Municipal de LadárioRodrigo Arruda publicou em sua página, em redes sociais, que representou o prefeito de Ladário Carlos Anibal Ruso (PSDB) em solenidade oficial de formatura dos alunos do Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas). O evento aconteceu em uma escola pública e contou com presença de autoridades policiais, civis e militares. Na postagem Rodrigo Arruda, que pediu afastamento do cargo após ter seu nome citado em processo, aberto pelo Ministério Público Estadual, em investigação de prática de nepotismo naquele município, disse que representou o prefeito na solenidade e que estava muito satisfeito e honrado, pois “Carlos Anibal Ruso estava em Campo Grande buscando emendas de bancada para Ladário”.

O ex-assessor ainda fez questão de citar que, “a Prefeitura Ladarense se colocava a disposição de todos”, e finalizou deixando claro que falava em nome do chefe do executivo. Desde que pediu exoneração do cargo Rodrigo não era mais visto na prefeitura, entretanto, passados alguns dias, retornou e disse, também em redes sociais, que estava atuando como ‘voluntário’. A postagem não passou despercebida dos internautas ladarenses que passaram a questionar sobre a legitimidade do ato, afinal, em regra, quando o prefeito não pode estar presente em uma solenidade, o vice é designado para isso, e em último caso secretários ou ouvidores. Mas, nunca antes um ‘voluntário’, sem vínculo empregatício com o município, atitude considerada pela ética no mínimo imoral e desrespeitosa com as autoridades presentes.

O Capital do Pantanal entrou e contato como prefeito Carlos Ruso, que não viu nenhuma anormalidade no ato, “quando se fala em ilegalidade ou legalidade devemos levar em conta o que determina o código penal ou às leis impostas aos agentes públicos do que podemos ou não fazer. Quanto a representação vejo que como prefeito não há determinação legal que me obrigue a encaminhar essa ou aquela pessoa à me representar em eventos públicos. O próprio nome já diz - evento público. Quando peço pra uma pessoa me representar, outro fator lógico, a pessoa me representa e o fato de pedir pra alguém faze-lo não é causa de lesa patrimônio, ou seja, não há ilegalidade nisso”. Após a polêmica o ‘voluntário’ retirou a postagem, mas os ‘prints’ já haviam caído na rede, e nas centenas de grupos de Whatsapp.

Foto que caiu na 'rede' . Reprodução Facebook

Deixe seu comentário

Leia Também

Conexão Internacional

Voo direto entre Campo Grande e Paraguai começa funcionar

Capital

Caminhada em Campo Grande pede tolerância com diversidade religiosa

Internacional

Paraguai reconstitui hoje assassinato de jornalista na fronteira com MS

Oportunidade

Semana começa com 420 vagas em concursos e salários de até R$ 19,4 mil

Serviço

Ação Cidadania da Fiems encerra o ano com 36,9 mil atendimentos

Educação

Prova do IFMS reúne mais de 3,4 mil candidatos em dez municípios

Serviço

Em Corumbá, vereador cobra instalação de loja ou posto de atendimento da Oi