Andorinha

Agroindústria do Estado vai avançar com Tereza Cristina

Por assessoria de imprensa10 NOV 2018 - 08h46min
A deputada federal afirmou que, após uma breve reunião com Bolsonaro, estabeleceu algumas pautas prioritárias e que, a partir da semana que vem, começará o processo de transição em conjunto com o atual titular da Agricultura, o ministro Blairo Maggi.Foto: assessoria de imprensa

A Fiems aposta no crescimento exponencial da agroindústria de Mato Grosso do Sul com a indicação da deputada federal reeleita Tereza Cristina, representante da bancada federal sul-mato-grossense na Câmara dos Deputados, para assumir o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro. Diante das prioridades da pasta, apontadas pela deputada federal nesta sexta-feira (09/11), durante coletiva de imprensa na sede da Famasul, em Campo Grande (MS), o clima é de otimismo e de que o setor produtivo local como um todo será beneficiado.

“A Fiems que vê com bons olhos e está muito satisfeita com a indicação de Tereza Cristina ao Ministério da Agricultura por ser uma profunda conhecedora da agroindústria de Mato Grosso do Sul. O Brasil passa por um momento muito importante, há uma série de desafios a serem cumpridos, reformas a serem votadas, de forma a ser gerado um ambiente melhor para os investimentos, para a retomada do crescimento”, avaliou o diretor da Fiems, Roberto Hollanda, que também é presidente da entidade que representa os produtores de bioenergia do Estado, a Biosul.

Depois de ouvir da futura ministra algumas prioridades já estabelecidas pelo presidente Jair Bolsonaro, como a segurança jurídica e a criação de um ambiente que favoreça a atração de novos investimentos e reduza a burocracia, Roberto Hollanda reforça não ter dúvidas de que o presidente eleito fez uma boa escolha. “Não temos dúvidas de que a indicação da Tereza será uma oportunidade para desenvolver a indústria de Mato Grosso do Sul e do país como um todo”, concluiu.

A deputada federal afirmou que, após uma breve reunião com Bolsonaro, estabeleceu algumas pautas prioritárias e que, a partir da semana que vem, começará o processo de transição em conjunto com o atual titular da Agricultura, o ministro Blairo Maggi. “Precisamos melhorar a logística de escoamento, reduzindo preços e abrindo mercados para que o Brasil seja mais competitivo no exterior. Nosso objetivo será facilitar e criar um ambiente favorável de negócios”, assegurou.

Tereza Cristina foi eleita deputada federal pela primeira vez em 2014 e, em fevereiro deste ano, assumiu a presidência da FPA (Frente Parlamentar da Agropecuária), que indicou o nome dela a Bolsonaro para assumir a pasta da Agricultura. Foi diretora da Famasul e superintendente do Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) em Mato Grosso do sul. Foi secretaria de Desenvolvimento Agrário, da Produção, Indústria, Comércio e Turismo de Mato Grosso do Sul.

Deixe seu comentário

Leia Também

Saúde

Buscando investimentos para Santa Casa, prefeito se reúne com secretário de Saúde

Meio Ambiente

Calor de 37,7ºC faz de Aquidauana uma das cidades mais quentes do Brasil

Policial

Equipe de rádio patrulha de Corumbá captura Homem foragido da justiça

Policial

Equipe de rádio patrulha Ladário captura dois indivíduos foragidos da justiça

Fiscalização

Caixa Econômica fiscaliza ocupação irregular de imóveis do Minha Casa, Minha Vida

Policial

Equipe de rádio patrulha prende Homem foragido da justiça por porte ilegal de arma de fogo

Parceria

Com Estado, Município trata de ações para o Carnaval e preservação do patrimônio