Matrículas - Sesi

Agentes penitenciários recebem denúncia de túnel na Máxima

Por Correio do Estado16 OUT 2017 - 10h41min
Semana começa com greve e tensão na Máxima.Foto: Álvaro Rezende

A greve deflagrada hoje pelos agentes penitenciários de Mato Grosso do Sul começou tensa. Pela manhã, servidores do Estabelecimento Penal de Segurança Máxima Jair Ferreira de Carvalho, em Campo Grande, receberam denúncia da escavação de suposto túnel para fuga, e tiveram que improvisar uma operação pente-fino. Os trabalhos ainda são realizados no local, sob gritos de protesto e batidas nas grades por parte dos presos. 

De acordo com o Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária (Sinsap), o túnel estaria em uma cela do pavilhão de número 2, ocupado por criminosos perigosos e facções como o Primeiro Comando da Capital. O buraco ainda não foi encontrado, mas os agentes promovem verdadeira devassa. Até o momento foram apreendidos itens como celulares e drogas, e a suspeita é de que os internos estejam agitados por este motivo. 

Greve 

Hoje, os servidores deflagraram greve após uma semana realizando procedimentos protocolares com base em resoluções do Departamento Penitenciário Nacionl (Depen). A partir de agora, visitas, advogados e oficiais de justiça não serão recebidos. Os presos terão banhos de sol durante a semana, mas no final de semana devem ficar reclusos. A categoria exige reajuste salarial de 16% e contratação de agentes aprovados em concurso.

 

 

Deixe seu comentário

Leia Também

Fuga

Interno não consegue entrar com celular e foge do semiaberto

Serviço

Testes na nova ETA de Ladário pode causar falta de água até sábado (25)

Otimismo

Aumenta vagas de emprego no comércio de MS

Comunicado

Prorrogada publicação dos classificados no processo seletivo da Fundtur

Educação

Governo finaliza compra de uniformes, kits e merenda escolar para 2018

Economia

Com R$ 1,6 bilhão de MS, volume contratado do FCO em 2017 já é recorde histórico no País

Conflito territorial

Fazenda Baía da Bugra em Porto Esperança é invadida por indígenas