Uma posição contra o fumo

Por Artigos07 DEZ 2017 - 07h58min

Câmara analisa projetos que aumentam impostos sobre cigarros para custear gastos com saúde pública.

Demoraram, mas chegaram à conclusão que a arrecadação tributária do cigarro, em torno de 13 bilhões, não cobre o gasto que o governo tem com a saúde dos que se entregam ao perigoso vício: quase 57 bilhões por ano...

A doença pulmonar obstrutiva crônica, relacionada ao tabagismo é a que mais gera gastos: 16 bilhões. Seguem-se doenças cardíacas: 10 bilhões e diversos tipos de cânceres, pneumonias e acidentes vasculares cerebrais...

Afora isso, há os passivos que sofrem pelo tabagismo de parceiros, amigos e colegas de trabalho. Há também de ser levado em conta as perdas à produtividade, causadas pela incapacitação do trabalhador e mortes prematuras. Por alto, em 2015 morreram no país mais de 250 mil pessoas por causas relacionadas ao tabaco...

Por isso, já passa da hora do governo adotar medidas contra o vício que mata, incapacita e empobrece. Não basta a propaganda reversa em cada maço de cigarros...

E para quem quer parar de fumar e encontra dificuldades, a Igreja Adventista do Sétimo Dia tem uma programação que encoraja a combater o bom combate. Procure uma...

 

Falei e disse.

 

José Carlos Cataldi é jornalista, radialista e advogado. Foi fundador da CBN e consultor jurídico da Rádio Justiça do Supremo Tribunal Federal. É detentor da Ordem do Mérito Judiciário – grau de comendador; Atuou nas Empresas Globo, Radiobrás (Presidência da República); TV Rio/Record; Redes Manchete e Brasil de Televisão; foi 4 vezes Conselheiro Federal e Presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos da OAB. É debatedor convidado da Rádio Difusora. Atua nos jornais São José dos Campos Diário, ‘O Regional’, 'Capital do Pantanal', e como comentarista e entrevistador na TV Setorial e na Rede Novo Tempo de Televisão. e-mail: [email protected]

Deixe seu comentário

Leia Também

Uma posição contra o fumo

Bomba de hoje, aumento do gás.

Miséria moral

Proclamação da República

Mesmo preso Puccinelli continua forte

Desafio ao MP ou teoria da inutilidade do vice

Perdão, Rio Paraguai