Matrículas - Sesi

Mesmo preso Puccinelli continua forte

Por Artigos14 NOV 2017 - 12h43min

O noticiário, hoje, está focado no Mato Grosso do Sul, por conta de mais um capitulo da Operação ‘Lama Asfáltica’ que já se desdobra há 4 anos, sem indicativos seguros. A Prisão preventiva do ex-governador André Puccinelli (PMDB), causa surpresa em eleitores e correligionários, sobretudo por algumas coincidências e por ele ser líder nas pesquisas eleitorais.

Puccinelli foi prefeito de Campo Grande em duas oportunidades. Também foi governador do Estado por dois mandatos. Sempre com grande aprovação do eleitorado. Tanto que, na atualidade, lidera todas as tomadas de opinião em face do atual chefe do executivo Reinaldo Azambuja (PSDB) e do concorrente, juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PDT).

Cumprindo ordem da Justiça, a Polícia Federal chegou a casa dele, nesta terça-feira, na rua Euclides da Cunha, em Campo Grande, a capital, por volta das seis horas da manhã com mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva. Tanto Puccinelli, que é médico respeitadíssimo; quanto o filho, Puccinelli Junior, advogado; ainda esperaram até as 8 horas para serem recolhidos. Dali, os policiais partiram para o cumprimento de outros 30 mandados nesta que é a quinta fase da ‘Operação Lama Asfaltica’, intitulada ‘Papiros de Lama’, e que teria o propósito de esclarecer pontos quanto ao desvio alegado de R$ 235 milhões de contratos com empresas que estariam sob investigação, no valor total de R$ 2 bilhões.

Há mandados sendo cumpridos também nas Cidades de Nioaqui e Aquidauana, no interior do Mato Grosso do Sul, e na capital de São Paulo, por conta de delações do homem frequentemente posto em descrédito: Wesley ‘Friboi’ Batista...

Seguidores de André Puccinelli suscitam algumas coincidências quanto à oportunidade da prisão do ex-governador em pré-campanha. Puccinelli lidera todas as pesquisas para a sucessão na governadoria estadual. Neste sábado assumiria ou assumirá o comando do PMDB regional, tornando-se ainda mais forte. A prisão pela Polícia Federal poderia fortalecer a reeleição de Reinaldo Azambuja (PSDB) e estaria sendo comemorada, segundo dizem, pelos correligionários do juiz federal aposentado, e, também candidato, Odilon de Oliveira (PDT); cearense, radicado em Campo Grande, a capital do Mato Grosso do Sul.

Para o atual presidente da Assembléia Legislativa, Junior Mochi, mesmo delatado e vítima de um processo que já rola há 4 anos sem solução, justamente agora, André Puccinelli continua sendo o nome forte do PMDB e ‘o país não deve nem pode parar por conta de delações’... No Partido é opinião geral que o tiro pode sair pela culatra e André ficar ainda mais forte na campanha. 

Só o tempo dirá... 

Puccinelli é o mais cotado para as eleições de governador em 2018. Foto: Arquivo/CDP

MAIS COINCIDÊNCIAS NA PRISÃO DE PUCCINELLI

Prisão de André Puccinelli tem novos ingredientes que certamente serão utilizados em recurso ao Tribunal Regional Federal da Terceira Região, com sede em São Paulo, e, jurisdição sobre o estado paulista e o Mato Grosso do Sul. Eventual ‘Habeas Corpus’ terá de ser protocolado em São Paulo capital.

Eis que o juiz que decretou a prisão temporária em momento estratégico da pré-campanha eleitoral foi Ney Gustavo Paes de Andrade, mesmo que substituiu o juiz Odilon de Oliveira,  aposentado desde 5 de outubro próximo passado, e anunciado pré- candidato ao governo do Mato Grosso do Sul pelo PDT. Odilon conduzia o processo. Mas, pessoalmente, nunca decretou medidas de cerceamento da liberdade de André. Em 11 de maio, outra prisão do peemedebista foi decretada na Vara ocupada por Odilon, mas, pela juíza Monique Machioli Leite, durante as férias do titular, ora pré-candidato...

Advogados de André Puccinelli podem ter sucesso explorando uma espécie de ‘teoria da conspiração’ contra aquele que lidera as pesquisas. A situação dúbia foi lançada, nesta terça-feira, pelo site campograndenews.com.br, TEXTUALMENTE: “A prisão do ex-governador  André Puccinelli (PMDB) e do filho dele André Puccinelli Junior e dos advogados Jodascil Gonçalves Lopes e João Paulo Calves foi decretada por juiz Ney Gustavo Paes de Andrade. Ele está trabalhando como substituto na 3ª Vara Criminal de Campo Grande, que há um mês e meio tinha Odilon de Oliveira como titular”...

Prisões foram decretadas com fundamento em delações de Ivanildo Miranda e Wesley ‘Friboi’ Batista. A qualidade da delação como prova é muito questionada pelos criminalistas. Principalmente quando usada para embasar a tirada da liberdade, tão importante quanto a própria vida. Hoje em dia qualquer criminoso apanhado burla a Justiça com promessas vãs, dizendo qualquer coisa para colocar o ‘boi na sombra’. Caso dos irmãos ‘Friboi Batista’...

Salvo melhor juízo, há motivos de sobra para a interposição do recurso. Inclusive suscitando suspeição do juízo. Devendo o Tribunal solucionar o conflito. (Atualizado para acréscimo de novas informações).

Artigo de José Carlos Cataldi, jornalista, radialista e advogado. Colaborador do site Capital do Pantanal, Cataldi é fundador da CBN e consultor jurídico da Rádio Justiça do Supremo Tribunal Federal. Detentor da Ordem do Mérito Judiciário – grau de comendador; Atuou nas Empresas Globo, Radiobrás (Presidência da República); TV Rio/Record; Redes Manchete e Brasil de Televisão; Foi quatro vezes Conselheiro Federal e Presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos da OAB. Debatedor convidado da Rádio Difusora. Atua nos jornais São José dos Campos Diário, ‘O Regional’, e, como comentarista e entrevistador na TV Setorial e na Rede Novo Tempo de Televisão. 

E-mail:[email protected]

 

Deixe seu comentário

Leia Também

Proclamação da República

Mesmo preso Puccinelli continua forte

Desafio ao MP ou teoria da inutilidade do vice

Perdão, Rio Paraguai

As oportunidades da Economia Criativa

Reflexão sobre a proposta “Escola Sem Partido”

Férias, tempo de descanso!